A partida é feita à porta da Junta de Freguesia, local de onde podes observar toda a encosta de Penha Garcia, o mítico Castelo e a Igreja Matriz nas posições mais elevadas. É para lá que vais. Subindo a encosta rumo ao topo, mergulhas nas ruas estreitas da vila, passas no Pelourinho e chegas finalmente à Igreja. Aí é tempo para ganhares uns segundos a contemplar o que se esconde do outro lado da encosta. 

Segues agora em direção à Piscina Natural do Pêgo, não mergulhes agora, deixa para o fim. Respira fundo vais iniciar uma curta mas ingreme subida que te vai levar à Albufeira da Barragem de Penha Garcia. Apesar da vista vais virar a norte porque o teu destino é subir à Torre de Vigia. O desafio ganho contornos com o aumento da exigência. Lá da Torre tens a oportunidade de observar os vales em redor, e com sorte veados e grifos andaram por lá.



Começas a descida pelo vale, interrompida por uma subida ao cimo da serra da Fonte do Cuco para veres ao longe a Barragem e o Castelo em miniaturas. Começas novamente a descer na direcção da Albufeira da Barragem e desta vez entras quase água a dentro, corres junto à margem atravessando a Barragem no sentido da Fonte do Rio Pônsul. Atravessas trilhos ladeados de longos campos agrícolas.

Alguns quilómetros depois inicias a exigente subida ao Marco Geodésico, nada te assusta lá do alto do monte, de um lado uma vista sobre o imponente rochedo onde se encontra a aldeia de Monsanto, e do outro lado uma ondulação de montes verdes e amarelos com cristas cinzentas, que se prolongam pelo interior da vizinha Espanha.


Vais agora em direcção à vila, atravessas a Rota dos Fósseis com o cuidado e o respeito que merece, vai tranquilo que aqueles animais das marcas já não estão por cá. Segue atento onde pões os pés e não te deixes trair pela curiosidade dos olhos. 

Inicias agora o que podemos chamar de assalto ao Castelo, nas muralhas não estão inimigos mas estão uns degraus que anseiam por desgastar-te mais um pouco antes da descida para a meta. Atravessas as ruas estreitas e agora já não paras até à meta. Lá chegado fazes as pazes com o teu corpo e partilhas com os teus familiares e amigos a tua aventura numa terra mágica.

Fotos cedidas pelo Espírito Inquieto Outdoor